Atmofrase

Atmofrase - O sucesso do treino está na motivação, por isso, faça uma atividade que lhe dê prazer!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Final de Ano. E agora?

Mexa-se ao a rlivre, sadio e prazeroso!
As festas de final de ano são um convite ao sedentarismo, momento no qual muitas pessoas deixam a atividade física de lado, priorizando os compromissos sociais, que nesta época acontecem quase que diariamente. E para aqueles que ainda não começaram a se movimentar, o fim do ano é uma ótima desculpa e o plano de iniciar uma atividade com regularidade, fica para o próximo ano.
Não que isso seja um problema, afinal de contas esta é uma época de desacelerarmos e planejarmos os próximos passos, contudo nossa saúde e bem-estar não entendem que estamos no final do ano. Portanto não existe uma data especifica para inserir atividade física no dia-a-dia e nosso corpo irá se beneficiar em qualquer momento do ano com essa atitude.
Tente começar com atividades leves e que tragam prazer, isso irá facilitar a manutenção desta atividade ao longo de todo o ano; as atividades ao ar livre como caminhadas e passeios de bicicleta, neste momento podem ser uma boa opção, mas não esqueça o filtro solar. Faça os exercícios em um ritmo confortável para que seu corpo se adapte a este novo estimulo.
E para aqueles que estão em férias existem diversas atividades interessantes para esta época do ano e que trazem inúmeros benefícios físicos e mentais, como andar na praia, jogar futebol, frescobol, nadar e surfar.
Então não importa o período e nem o momento, procure sempre manter uma vida ativa, incluindo 30 minutos de atividade física moderada em pelo menos 5 dias da semana e você terá SAÚDE PARA DAR E VENDER em qualquer época do ano.
Boas Festas e bons exercícios.
Marcio Marega

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

"Subir escadas ao menos sete minutos por dia protege seu coração".

evite os elevadores, use as escadas

Usar as escadas é uma das formas mais econômicas e naturais de se fazer exercício sem ir à academia. Mesmo que no início exija um pouco de esforço, depois de algum tempo a "ginástica casual" começa a ser prazerosa, melhorando a saúde dos ossos, do coração e do corpo em geral.

Além das vantagens para a saúde, a escada queima gordura. Segundo um estudo feito nos Estados Unidos em 1997, gastamos cerca de 0,15 caloria para subir um degrau. Para um lance com 20 degraus, você consome 3 calorias. Contando que 1 minuto é tempo mais do que suficiente para você subir dois lances de escada, em 30 minutos dá para você queimar 180 calorias, 60 a mais do que uma caminhada rápida. Já a descida é menos exigente: em 30 minutos, são consumidas 60 calorias (0,05 caloria por degrau).

Atividade não é só ir à academia?


O exercício físico é toda atividade física planejada, estruturada e repetitiva que tem por objetivo a melhoria e a manutenção de um ou mais componentes da aptidão física, como exemplo, podemos citar uma caminhada de uma hora sem parar e com ritmo constante. Já Atividade Física, por definição, é qualquer movimento humano que envolva gasto de energia e promova qualidade de vida, portanto movimentos informais e de deslocamento auxiliam na promoção de saúde e não precisam ser realizados na academia.
Para àqueles que preferem fazer exercícios em casa ou no trabalho, os alongamentos e os exercícios resistidos são uma excelente opção. Podem ser realizados com pesos livres ou com o próprio peso do corpo, como seguem nos exemplos abaixo:
Cabeça / Ombros: Com os braços estendidos à frente do tronco, punho flexionado com os dedos apontando para o teto, mãos levemente afastadas. Realizar movimentos circulares com as mãos mantendo a posição dos cotovelos e punhos. Executar seis movimentos com os dois braços ao mesmo tempo, sendo um girando no sentido horário e o outro no sentido anti-horário, e depois seis invertendo os sentidos dos braços, aumentando dois giros completos a cada semana.
Braços/ Antebraços: Da posição sentada, apoiar as pontas dos dedos por baixo da mesa à sua frente, com as palmas das mãos voltadas para cima. Pressionar a mesa como se fosse levantá-la e manter a força por dez segundos. Realizar duas séries de seis repetições para cima e duas séries de seis repetições com as mãos voltadas para baixo. Aumentar duas repetições a cada semana.
Tronco: Da posição sentada, apoiar as costas no encosto da cadeira, com o quadril tocando a base do mesmo. Levantar os pés do chão e tentar girar a cadeira para um dos lados, sem apoiar as mãos ou dar impulso com os pés. Realizar um giro completo para cada lado.
 Coxa / Pernas: Da posição sentada, levantar sentada os pés do chão e manter sem tocar o solo. Com os joelhos unidos, pressionar um contra o outro. Realizar dez repetições, sem voltar os pés no chão. Aumentar duas repetições a cada semana.
Fortalecimento membros superiores: Da posição sentada, com os pés apoiados no chão e levemente afastados, girar o tronco enquanto o mesmo é levado à frente, com o objetivo de tocar os dedos das mãos nos pés contrários. Realizar doze rotações (seis para cada lado). Aumentar duas repetições a cada semana.
Fortalecimento membros inferiores: Da posição sentada, pés no chão, elevar os calcanhares do chão tentando tirar a coxa do assento e a ponta dos pés do chão, visando atingir a maior altura possível dos joelhos. Realizar doze repetições. Aumentar duas repetições a cada semana.

Fontes:
 Marcio Marega - Educador físico e Fisioterapeuta.
Carla Giuliano de Sá Pinto – Educadora Física.
Carolina Vicaria Rodrigues Daurea – Fisioterapeuta.
Felipe Gambetta Carmona – Fisioterapeuta.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Fisioterapia/Educação Física na Reabilitação Cardiovascular


Aprimore sua condição física

 A reabilitação cardiovascular é um conjunto de atividades, implementado por uma equipe multidisciplinar, que objetiva a restituição do cardiopata as melhores condições física, mental e social, de forma que o mesmo se reestabeleça e leve uma vida ativa e produtiva. A ênfase da reabilitação cardiovascular é a prática do exercício físico, acompanhada por ações educacionais voltadas para mudanças no estilo de vida. Nesse contexto, o papel do fisioterapeuta ou do educador físico é extremamente importante dentro da equipe multidisciplinar.
A atuação desses profissionais é ampla e está presente desde o período de internação até os ambientes extra-hospitalares. A reabilitação cardiovascular é dividida em 4 fases diferentes, e o papel do fisioterapeuta e do educador físico difere de acordo com os objetivos a serem alcançados pelo paciente em cada uma dessas etapas. 
Fase 1 (UTI e Enfermaria): É destinada ao paciente internado após um processo cirúrgico ou alguma descompensação da doença de base. Inicia-se após o paciente ter sido liberado pela equipe médica. Objetivo: alta hospitalar do paciente com as melhores condições físicas. Cabe ao fisioterapeuta além de evitar complicações dos efeitos deletérios do repouso no leito, fornecer assistência ventilatória. Algumas práticas realizadas são: terapia de higiene brônquica, técnicas de expansão pulmonar, mobilização precoce no leito e fora do mesmo, cinesioterapia motora, sedestação e deambulação. Essa fase deve ter o acompanhamento do fisioterapeuta.
Fase 2: É a primeira etapa ambulatorial. Inicia-se imediatamente após a alta hospitalar. Em média tem duração de três a seis meses. Nesta fase, o fisioterapeuta supervisiona um programa de exercícios individualizado, em termos de intensidade, duração, frequência, modalidade de treinamento e progressão.  Objetivo: contribuir para o mais breve retorno do paciente às suas atividades sociais e laborais, nas melhores condições físicas. A partir dessa fase a orientação pode ser realizada tanto pelo fisioterapeuta quanto pelo educador físico.
Fase 3: Objetivo: aprimoramento da condição física do paciente. A duração prevista nesta etapa é de seis a 24 meses. Nas fases 2 e 3 o programa de exercício físico contém três etapas: aquecimento, treinamento e desaquecimento. O aquecimento engloba exercícios de alongamentos dinâmicos e aeróbicos associados a exercícios respiratórios.
Na etapa do condicionamento são realizados exercícios aeróbicos e exercícios de resistência muscular dependendo da capacidade do paciente. Por fim, na fase de desaquecimento, o paciente realiza exercícios de alongamento e espera que os sistemas cardiorrespiratório e musculoesquelético retomem sua condição de repouso.
Fase 4: Tem duração indefinida e variável. Objetivo: aumento e manutenção da competência física do paciente. O fisioterapeuta/educador físico prescreve um programa de exercícios ou sugere a atividade física desportiva e recreativa mais apropriada para cada paciente, porém essas atividades não são necessariamente supervisionadas. Nesta etapa, os profissionais podem acompanhar o paciente à distância, enfatizar e estimular a manutenção dos exercícios. 
Agora, você conhece o papel dos profissionais junto aos pacientes cardiopatas, e, entende a importância de um trabalho interdisciplinar para esse grupo de pacientes.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

O papel da Atividade Física na Insuficiência Cardíaca Congestiva


Denomina-se Insuficiência Cardíaca (IC) o distúrbio estrutural e funcional do coração que altera sua eficácia, tornando-o incapaz de suprir as necessidades metabólicas do organismo podendo levar a sua falência total, clinicamente, caracterizada principalmente por falta de ar, cansaço e edema. Possui alta prevalência, custo elevado, além de ser incapacitante e indicar taxa elevada de mortalidade.
A IC é mais comum em idosos, obesos, diabéticos e hipertensos. Desta maneira, entre os fatores de risco considerados de maior importância destacam-se a vida sedentária e os hábitos relacionados ao estilo de vida, como dieta rica em gorduras saturadas, consumo de bebida alcoólica e tabagismo.
A prática regular de atividade física atua tanto na prevenção quanto no tratamento de doenças, diminuindo a pressão arterial, controlando o peso corporal, melhorando o tônus e a força muscular, reduzindo a fadiga e aumentando a tolerância ao movimento, ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao sistema nervoso, reduz a ansiedade e o estresse, melhora a auto-estima e auxilia no relacionamento social do indivíduo.
Recomenda-se ao paciente com IC escolher atividades que realmente goste, selecionar horários compatíveis com seu estilo de vida, optar por atividades que possam ser realizadas com seus amigos e/ou familiares objetivando primeiramente seu bem-estar. Durante a prática de atividade física a dispnéia e a fadiga precoce podem levar o paciente a interromper o esforço físico precocemente, independente do estágio da doença. Assim, os limites de esforço do paciente devem ser respeitados. As pesquisas mostram que tanto atividades aeróbias (exemplo: caminhadas, ciclismo) como atividades com predominância anaeróbia (exemplo: musculação) são eficazes. Porém a combinação de ambos os exercícios tem mostrado benefícios mais acentuados.
Além disso, é fundamental associar a Atividade Física a uma dieta balanceada para controle do peso, já que essa condição aumenta o esforço cardíaco; parar de fumar, pois o fumo aumenta o risco de infarto do miocárdio; diminuir ou cessar o consumo de bebida alcoólica, pois o álcool reduz a contratilidade miocárdica podendo causar arritmias. Estas atitudes terão um impacto bastante positivo na promoção de saúde.
Adotar hábitos saudáveis previne o aparecimento de doenças cardiovasculares e auxiliam na aquisição de uma melhor qualidade de vida.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Entrevista: Atividade física e controle do colesterol

            
1.   Unilever-Atualmente, a atividade física é reconhecida como um componente fundamental em intervenções para o controle de fatores de risco cardiovascular. O que as evidências científicas mostram com relação ao impacto da atividade física sobre a concentração total de colesterol, LDL-c e HDL-c?           
       Marcio Marega-Pesquisas mostram que a prática regular de Atividades Físicas possui um impacto substancial na dislipidemia, na prevenção de doenças e na promoção de saúde e associada à aquisição de hábitos mais saudáveis os benefícios podem ser exacerbados. Os efeitos da atividade física relacionadas ao HDL podem ser potencializados com o aumento da energia gasta durante o exercício, por meio da intensidade ou duração e alterações na composição corporal, com a redução de gordura. Estudos indicam que o LDL também apresenta uma diminuição de 7,6% quando associada com atividade física, dieta e perda de 10% na composição corporal.  Especificamente o exercício físico proporciona o aumento nas concentrações de HDL no sangue, assim, como conseqüência, de forma indireta observa-se a diminuição dos níveis plasmáticos de LDL, uma vez que o HDL, conhecido como colesterol bom, possui como principal função o transporte reverso do LDL, um dos responsáveis pela formação da placa de arteroma.  Outro fator importante é a ação antioxidante do HDL, que pode ser encontrado em níveis elevados após um programa de treinamento. 
2.      Unilever- A atividade física é capaz de melhorar os níveis plasmáticos de triglicérides e a lipemia pós-prandial?
       Marcio Marega-Sim. Estudos apontam melhora significativa nos níveis de triglicérides e lipemia pós prandial com a prática regular de Atividade Física.
3.       Unilever-Indivíduos sob terapia hipolipemiante (ex: estatinas) são beneficiados da mesma forma?
       Marcio Marega-Em indivíduos que realizam tratamento com hipolipemiante, além dos benefícios proporcionados pelo medicamento o controle da hiperlipidemia se torna mais eficaz com a prática regular de exercícios físicos. 
4.       Unilever-Existe a vantagem de algum tipo de exercício sobre outro quanto a sua capacidade de melhorar o perfil lipídico? Há  alguma contraindicação?
       Marcio Marega-Tanto exercícios de predominância aeróbia quanto treinamento resistido trazem benefícios para o controle do perfil lipídico, porém, melhoras mais significativas ainda são comprovadas em exercícios cíclicos de predominância aeróbia como caminhadas, ciclismo e corridas. Não há contra-indicação, apenas deve-se respeitar a condição física atual do individuo para a prescrição correta dos exercícios.
5.       Unilever-Para obter os melhores resultados, qual a duração e frequência recomendada de atividade física?
 Marcio Marega-Para reduzir o risco de doenças e promover saúde a recomendação da Organização Mundial da     Saúde (OMS) é que se acumule 30 minutos de atividades físicas de intensidade moderada em 5 dias da semana, porém, para a maioria das pessoas, benefícios maiores serão encontrados em atividades físicas mais vigorosas e com maior duração. Vale salientar que os  exercícios físicos realizados de modo crônico possuem um melhor resultado que aqueles realizados de forma aguda, portanto,  a disciplina no exercício físico é essencial.

 

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Hipertensão e Exercício Físico -

A hipertensão arterial é uma das morbidades mais comum na população adulta brasileira e frequentemente a causa de utilização dos serviços de emergência. Dentre as principais causas de morte ligadas ao aparelho circulatório, é consistente sua presença ou contribuição para a morte, como na insuficiência cardíaca, nas doenças cerebrovasculares e na cardiopatia isquêmica. Além disso, podem levar à lesões em órgãos alvo como olhos, cérebro e rins. Na maior parte das vezes não tem sintomas, mas pode causar tontura, sensação de peso na nuca, transpiração entre outros sintomas.
            Sabemos com isso, que o tratamento ideal da hipertensão é a combinação de tratamento medicamentoso e melhora do estilo de vida, onde consideramos alimentação saudável, atividade física e saúde mental.
            Quando falamos de atividade física, muitos hipertensos têm insegurança para iniciar um programa de exercício físico devido ao aumento da pressão arterial que pode acontecer durante a prática, principalmente quando se fala em exercício resistido (musculação). O que não é falado, é que diferente do que muitas pessoas acham, a musculação tem um fator para redução da pressão arterial e que o temido risco de pico pressórico durante a prática pode e deve ser controlado através das variáveis de carga, número de repetições, intervalo entre uma série e outra, a respiração durante a execução e a velocidade de movimento durante o exercício. Assim, controlando estas variáveis, os benefícios gerados pela prática regular da musculação para uma pessoa hipertensa, com certeza sobrepõem os possíveis riscos gerados.
            A redução da pressão arterial de repouso ocasionada pela prática da musculação se associa com a redução de 5 a 9% na morbidade cardíaca, redução de 8 a 14% na ocorrência de acidente vascular encefálico e redução de 4% na mortalidade por todas as causa.
Vale lembrar que além dos benefícios pressóricos há melhora de outros fatores determinantes como peso corporal, composição corporal, melhora da capacidade cardiorrespiratória, disposição, qualidade de sono, e todos os outros benefícios gerados para pessoas que são fisicamente ativas.
Alguns cuidados devem ser tomados antes, durante e depois do treino, como não iniciar a atividade se a pressão estiver alta, atenção à qualquer tipo de sintoma durante o exercício, não ir até a fadiga, entre outros.
            Então, se você pretende iniciar um treino de musculação, vá em frente! Com certeza lhe trará muitos benefícios! Mas sem esquecer do acompanhamento de um profissional capacitado para prescrever, potencializar e acompanhar seu treino. 
Carla Giuliano
 

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Exercícios em Família

Praticar atividades físicas regularmente faz muito bem, não só para o corpo, mas também para a mente. Todos os movimentos que promovem qualidade de vida geram benefícios tanto nos aspectos físicos em relação a controle do peso, ganho de massa muscular e aumento da flexibilidade, como nos aspectos mentais, melhorando a qualidade do sono, reduzindo o estado de ansiedade e aumentando a auto-estima. Porém esses ganhos já são bastante descritos e percebidos pelos praticantes de atividade física. O grande desafio atual é transformar a teoria em ação e inserir este hábito no dia-a-dia de quem ainda não conseguiu vencer as barreiras do tempo por excesso de tarefas, extensas jornadas de trabalho, compromissos sociais e atenção à família, argumentos descritos na literatura e ouvidos na prática clinica que impossibilitam a realização de atividades físicas regulares.
Uma forma agradável e que pode ser uma grande oportunidade para a prática regular de atividades físicas é compartilhar este hábito, fazendo programações que incluam toda a família. Realize caminhadas no parque ou ande de bicicleta. Se o filho for muito pequeno leve-o no carrinho enquanto se exercita ou coloque-o numa cadeirinha para aproveitar o passeio de bike, incentivando a prática de atividade física desde a infância.
Outra alternativa interessante é resgatar as brincadeiras esquecidas com o tempo como jogar bola, pega-pega, pular corda, esconde-esconde que certamente proporcionam companheirismo e divertimento entre pais, filhos, irmãos, esposas e maridos.
E acima de tudo vale lembrar que pais ativos são exemplos para os filhos que crescerão com hábitos de vida mais saudáveis e conseqüentemente se tornarão adultos ativos também.
                                                                      

                                                                                              Felipe Gambetta Carmona

 

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Atividade Física e Obesidade-

 

Há uma epidemia de sobrepeso e obesidade em evolução em todo o mundo, e poucos países escapam desse quadro. O sobrepeso e a obesidade estão relacionados com o aumento do risco para uma série de doenças, destacando-se principalmente as cardiovasculares, o diabetes e a Síndrome metabólica.
O sobrepeso e a obesidade ocorrem devido a um desequilíbrio entre a quantidade de calorias ingeridas e o gasto energético com atividade física. A oferta de calorias na forma de carboidratos altamente industrializados é alta e barata, quando, por outro lado, as facilidades da vida moderna, assim com as novas formas de trabalho, estimulam a inatividade física. Por essa razão, a atividade física é um fator crítico para se determinar se um indivíduo será capaz de manter um peso sadio, poderá perder o excesso de peso ou ainda, manter o peso reduzido com sucesso. A quantidade de atividade física necessária para essas ações é variável de indivíduo para indivíduo.
A combinação de uma dieta hipocalórica e atividade física é o método mais efetivo para a perda de peso. Infelizmente, somente uma minoria da população que tenta diminuir o peso utiliza essa estratégia. A manutenção da prática de atividade física é um dos problemas encontrados nesse caminho e cerca da metade dos adultos que iniciam um programa de atividade física o interrompem no sexto mês.
Outro ponto conhecido é o crescimento da prevalência da obesidade infantil e a dificuldade da sua abordagem, visto que este fator está relacionado com mudanças dos hábitos de vida e a disponibilidade dos pais, além da dificuldade de compreensão da criança sobre os malefícios da obesidade. Nesse contexto, a atividade física se mostra um excelente expediente para reverter o processo de obesidade, já que o caráter lúdico também é acompanhado de satisfação; sendo esta uma importante estratégia para introduzir a atividade física na vida futura de uma pessoa.
Há necessidade de uma abordagem enfática de atividade física para o controle da obesidade pelas seguintes razões:
• Muitos especialistas concordam que as mudanças de comportamento relativas ao consumo de alimentos são difíceis por causa de hábitos culturais, condições socioeconômicas e ambientais, além das relações emocionais com os alimentos.
• Enquanto o bem-estar ou uma condição saudável podem ser oferecidos pela dieta balanceada, a perda de peso é mais facilmente atingida com níveis adequados de atividade física.
• As evidências mostram que enquanto o nível de atividade física aumenta, o sobrepeso e a obesidade diminuem.
• A combinação de dieta e exercício físico é superior a somente a dieta no tratamento da obesidade infantil.
• Um obeso ativo é mais sadio do que um eutrófico sedentário.
Razões para a necessidade de enfatizar atividade física para os jovens:
• A atividade física previne a instalação do sobrepeso e da obesidade e é mais eficaz em reverter sua progressão.
• A participação em esportes e em atividade física aumenta a confiança e a auto-estima que são inversamente relacionadas com o sobrepeso e a obesidade.
• Sob a perspectiva da saúde pública, atividade física e a obesidade em jovens representam um desafio mais crítico do que em adultos.
A atividade física quando feita com uma duração inferior a 150 minutos semanais tem um efeito mínimo na perda de peso. Quando praticada acima de 150 minutos/semana os resultados são menores (até 2 a 3kg); com 225 a 420 minutos/semana os resultados são melhores, variando de 5 a 7,5kg. Assim, muitos autores e colégios sugerem aproximadamente 60 minutos de atividade física na maioria dos dias da semana.
Por fim, estudos recentes indicam que atividade física de intensidade moderada a vigorosa, de 150 a 200 minutos por semana, de uma energia equivalente a 1.200-2.000 calorias, será suficiente para prevenir o ganho de peso.

Márcio Marega

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE TENDINITE


Tendinite é um processo inflamatório que afeta o tendão e que surge usualmente através do excesso de repetições de um mesmo movimento. Pode ser desencadeada nas atividades esportivas ou no trabalho. Esta condição afeta pessoas que dispendem muito tempo realizando uma mesma tarefa.
Os tendões são tecidos fibrosos, densos e resistentes, através dos quais os músculos se prendem aos ossos, permitindo a realização do movimento articular. O sufixo "ite" no vocabulário médico, geralmente, está associado à existência de inflamação. As causas das Tendinites são variadas e podem estar associadas à presença de muitas condições ou doenças, incluindo:
  • Traumas mecânicos
  • Infecções
  • Doenças reumatológicas
  • Doenças do sistema imunológico
  • Distúrbios metabólicos
  • Iatrogenia    
  • Processos degenerativos das articulações
  • Neuropatias que induzam à alterações musculares
A determinação da causa é um trabalho extenso que pode demandar longo período de investigação. Geralmente nas atividades esportivas está relacionada ao erro na execução do gesto esportivo ou pelo uso inadequado de equipamentos esportivos (ex. raquete de tênis), além das mudanças de volume e/ou intensidade nos treinos.
A sintomatologia das tendinites pode ser bastante variada, incluindo dor e edema (inchaço) de intensidade variável, bem como diferentes graus de dificuldade de movimento e diminuição de força muscular. Em alguns casos pode apresentar alteração de sensibilidade na região acometida e quadro de dor  exacerbada durante a noite.
O diagnóstico é clínico (pelo exame médico-semiológico), corroborado por exames subsidiários como raios-X, ultra-sonografias, ressonâncias magnéticas e provas laboratoriais. O diagnóstico preciso somente será obtido com o exame anatomopatológico do tendão. Nenhum dos exames subsidiários existentes é perfeito para a caracterização de tendinites.
As tendinites mais comuns no meio esportivo estão relacionadas as articulações do ombros, cotovelos, joelhos e tornozelos, porém depende muito da atividade fisica praticada. No trabalho o punho é a região mais acomentida, por causa da utilização excessiva do computador.
O tratamento requer repouso da articulação envolvida, uso de gelo para melhora da dor e da inflamação, alongamentos da musculatura envolvida, reforço e reeducação muscular após melhora dos sintomas. O tratamento medicamentoso também pode ser um aliado, porém sempre sob a orientação de um médico especialista.
A atividade física é a principal aliada à prevenção das tendinites, desde que realizada de forma correta, principalmente com a supervisão e orientação de um profissional. Exercícios de alongamento combinados a um programa gradativo de fortalecimento muscular diminuem a tensão sofrida pelos tendões diminuindo a probabilidade de inflamação do tendão.

Felipe Gambetta

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Como anda sua coluna?


Preserve sua coluna Vertebral

Você já se fez esta pergunta? Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% das pessoas no mundo já tiveram ou terão algum tipo de dor na coluna ao longo da sua vida. Em um primeiro momento este número parece um tanto assustador, mas vamos a algumas perguntas: Quanto tempo do seu dia você reserva para realizar exercícios de alongamento? Quantos dias da sua semana você reserva para realizar alguma atividade física mesmo que seja no seu momento de lazer? Você se alimenta bem? E sua noite de sono é tranqüila?
Estas respostas podem justificar a constatação da OMS. Com os dias cada vez mais “curtos” e com mais tarefas a serem feitas, muitas vezes não nos damos conta de que nosso corpo também precisa de atenção.
Porém o que pode ser feito quando as dores aparecem?
Geralmente as dores lombares, na região mais baixa da coluna, são as mais freqüentes e causadas em geral por hábitos inadequados, como por exemplo: ficar muito tempo na mesma posição (seja em pé ou sentado), usar salto alto e principalmente pelo uso inadequado da coluna como pegar um peso do chão sem dobrar os joelhos, além do sobrepeso que aumenta a carga na região lombar.

As dores na região cervical, do pescoço, também são muito freqüentes e geralmente causadas por tensão muscular e por hábitos posturais inadequados, principalmente no ambiente de trabalho.
Pois bem, mais isto todo mundo já sabe, agora o que pode ser feito para que estas dores não interfiram no nosso dia-dia?
A coluna é formada por vértebras, que possuem o aspecto de blocos, e são empilhadas umas sobre as outras. Entre cada um destes “blocos” existem os discos intervertebrais que funcionam como amortecedores, além de garantirem uma boa estabilidade anatômica para a coluna. Estabilidade que é fundamental para os movimentos da coluna e para o nosso dia-dia.
Além do disco intervertebral ainda existem pelo menos dois outros estabilizadores da coluna, os ligamentos e os músculos que tem fundamental importância para a eliminação e prevenção das dores nas costas. 
Os músculos são o que chamamos de estabilizadores dinâmicos da coluna e precisam estar em boas condições de força e flexibilidade para que a coluna fique estável. Uma das principais causas de dores nas costas esta relacionada ao desequilíbrio muscular que em geral está tensionado e encurtado nos músculos posteriores e fraco nos músculos anteriores da coluna.
É claro que todas as dores do sistema músculo esquelético devem ser avaliadas por um ortopedista, porém o equilíbrio entre os músculos anteriores e posteriores da coluna podem reduzir e muito o aparecimento de dores nas costas.
O Fundamental é que você consiga reservar um tempo do seu dia para a sua coluna, através da prática de uma atividade física regular, exercícios de alongamento, controle do peso e de forma geral hábitos saudáveis.
Pode ter certeza que sua coluna agradece... 

Felipe Gambetta

terça-feira, 20 de novembro de 2012

EXERCICIO VIRTUAL


 
Lembro-me, como se fosse há poucos dias, que ficava imaginando como seria interessante ser o bonequinho do vídeo game e achava que este dia talvez nunca chegasse ou se chegasse, levaria muito tempo, no mesmo momento em que existissem carros voadores. Pois bem, os carros voadores ainda podem demorar um pouco, mas hoje graças à tecnologia, tão criticada pelos profissionais da saúde que leva as pessoas a ficarem cada vez mais sentadas em frente ao computador, podemos nos imaginar como os bonecos do vídeo game, ou melhor, podemos ser os bonecos do vídeo game.
Com equipamentos cada vez mais modernos os computadores hoje, nos proporcionam a possibilidade de controlar o nosso bonequinho através dos nossos movimentos corporais. Quem diria, é a tecnologia a favor dos movimentos e da atividade física.
Através dos aparelhos hoje disponíveis podemos simular qualquer tipo de atividade física, desde uma aula de pilates como uma descida de snowboard, entre as montanhas geladas do hemisfério norte. É claro que nada, ainda, substituirá a sensação do vento no rosto de quando praticamos uma corrida, mas estes equipamentos servem como uma ótima alternativa para aqueles que enfrentam algumas barreiras para a prática da atividade física, como a falta de tempo. Você pode praticar uma aula de dança dentro de casa, quando o seu horário permitir e logo em seguida sentar-se a mesa para o jantar, sem trânsito, com segurança e a cada dia com uma opção de atividade diferente.
Além da função de promover uma vida mais ativa e saudável, estes equipamentos, também tem sido utilizados freqüentemente na reabilitação. Por ser uma opção lúdica, além de proporcionar movimentos e cargas que podem ser controlados, simular movimentos, que por vezes estão limitados nos pacientes, esta tem sido uma ferramenta muito útil nas sessões de fisioterapia dos principais centros de reabilitação.
Mesmo com todas estas facilidades devemos lembrar que a regularidade do exercício é fundamental para que você consiga alcançar benefícios a saúde e alguns cuidados devem ser respeitados como utilizar uma roupa confortável e garantir que o espaço onde será realizada a atividade esteja livre de objetos (tapetes, mesinhas, etc.) e ai é só diversão.
                                                                      
                                                                                                          Felipe Gambetta

O EXERCÍCIO FÍSICO NA MELHOR IDADE


 
   
             
            O exercício físico é responsável pela prevenção e tratamento de doenças crônicas como diabetes, hipertensão, cardiopatias entre outras patologias que são muito comuns nos idosos.
            Por se tratarem de doenças, com conseqüências em longo prazo, geralmente o diagnóstico acontece quando as pessoas entram na faixa etária que caracterizamos como “melhor idade”.
Outros problemas, não menos importantes, que acometem esta faixa etária são os riscos de quedas, principalmente pelo aumento de osteoporose, fraqueza muscular, artrites, artroses, entre outras alterações do sistema osteoarticular.
            Isso não faz do idoso um grupo impossibilitado de praticar atividade física, pelo contrário, é exatamente nesta idade que não podemos deixar esta situação ou este benefício de lado.
            Exercícios aeróbios melhoram a função cardiorrespiratória , controlam a pressão arterial, a obesidade, colesterol, glicemia, entre outros fatores de riscos que possuem papel direto em doenças cardiovasculares e que podem levar uma pessoa ao infarto, por exemplo.
            Em relação ao sistema locomotor, o fortalecimento muscular e o treinamento de flexibilidade também desempenham papel fundamental para a qualidade de vida nesta  fase. Com a musculatura fortalecida há uma proteção articular que diminui a sobrecarga da mesma, reduzindo de forma considerável o risco de queda e juntamente com exercícios de flexibilidade irão aumentar a mobilidade articular, trazendo benefícios à funcionalidade deste idoso, como por exemplo no momento de subir escadas ou abaixar para amarrar os cadarços do sapato.
            Diminuir o processo de perda de massa óssea, que acontece de forma natural durante o processo de envelhecimento, tem como principal benefício reduzir o risco de fraturas e conseqüentemente de quedas. Sem contar nas melhorias relacionadas à parte cognitiva, aumento das relações interpessoais e momentos de lazer que são as principais causas que levam esta população a praticar atividade física de forma regular.
            E será que a recomendação se diferencia muito em relação às outras faixas etárias?
            Pelo contrário. Como em toda recomendação, deve ser ajustada e escolhida de acordo com as características e objetivos pessoais de cada idoso, mas com alguns cuidados e atenção na intensidade, duração e carga dos exercícios. a recomendação também é representada pelos 150 minutos semanais de atividades moderadas de predominância aeróbia e, de preferência, incluir exercícios físicos resistidos de 2 a 3 vezes por semana, além de alongamentos para otimizar os ganhos acima citados.
            Por isso, se você está chegando nesta idade, não se intimide, não deixe de fazer suas atividades físicas! Caso não tenha esse hábito incorporado em sua rotina é uma boa oportunidade para iniciá-lo!
                                                                                   Carla Giuliano de Sá Pinto

Quais as principais barreiras para a prática de atividades físicas?

           
Existem vários obstáculos que nos impedem de praticar atividades físicas, especialmente quando temos muita responsabilidade no trabalho e ocupamos cargos de chefia. São algumas destas barreiras: não ter tempo para a família, uso frequente de roupas sociais, reuniões com desgaste mental e emocional, viagens de trabalho. Para transpor estas barreiras, seguem algumas dicas que conciliam uma rotina atribulada e exercícios físicos:
- Use as escadas em lugar do elevador;
- Estacione o carro um pouco mais longe do seu destino. Caso tenha motorista, peça a ele estacionar o carro mais afastado, e diga ao seu segurança para te acompanhar;
- Evite ficar muito tempo sentado: atenda ao telefone andando;
- Quando sair com a sua família, planeje uma agenda que inclua atividades de movimento;
- Dance com alguém ou mesmo sozinho;
- Faça exercícios de alongamento que podem ser realizados no próprio posto de trabalho.
            Ter disciplina, paciência, planejamento estratégico, gerenciar equipes, além de possuir habilidades emocionais fazem parte da rotina de trabalho de muitos indivíduos, principalmente dos executivos. Algumas atividades podem ajudar a enfrentar os problemas diários, e caso sejam feitos com disciplina e atenção, os efeitos serão bastante benéficos:
1)  Ao acordar, espreguice e estique bem o corpo. Dê bom dia à vida. A gratidão é um dos sentimentos que mais renova a energia interior.
2) Faça do seu banho um momento de terapia. Usufrua os poderes da água de nutrição e de renovação.
3) Quando puder, escolha uma roupa que você goste. Aprecie estar bem.
4) Tome um café da manha saudável. Sente-se para a sua mais importante refeição. Curta e saboreie com prazer este momento. Não podemos esquecer que Somos aquilo que comemos”. A alimentação equilibrada é muito importante para a manutenção de nossa qualidade de vida.
5) Use o percurso do seu trabalho para programar o seu dia, pensar coisas positivas. Ouça músicas relaxantes no carro. Se houver congestionamento, alongue. Não reclame, pois elas diminuem a energia.
6) Ao chegar no trabalho, cumprimente as pessoas, olhando nos olhos, falando o nome de cada uma. Programe o seu dia. Organize o seu trabalho. Defina prioridades.
7) Estabeleça durante o dia “pausas ativas” para recuperar ou manter a energia. Respire, levante, beba água, leia uma mensagem, fale com alguém alto-astral, faça algumas posturas de alongamento.
8) Realize ao menos 30 minutos contínuo ou intervalado de atividades físicas na maioria dos dias da semana. Acumule movimento!
9. No final do dia, agradeça as realizações e procure ser melhor no novo despertar.
Adapte este ritual ao seu estilo. Acrescente atitudes.

Fontes:
Marcio Marega - Educador físico e Fisioterapeuta.
Carla Giuliano de Sá Pinto – Educadora Física.
Carolina Vicaria Rodrigues Daurea – Fisioterapeuta.
Felipe Gambetta Carmona – Fisioterapeuta.
 
 

Benefícios gerais da Atividade Física


Bem estar!!!
Todos os indivíduos deveriam praticar regularmente algum tipo de atividade física com a finalidade de melhorar sua condição de saúde e prevenir muitos desfechos desfavoráveis de diversas doenças. O sedentarismo é, atualmente, epidêmico e responsável por uma grande quantidade de mortes em todo o mundo. Relacionada ao sedentarismo também há uma epidemia de condições crônicas que afeta as populações de países desenvolvidos e em desenvolvimento, constituindo-se num enorme desafio preventivo e significando uma grande carga financeira para os países em desenvolvimento. A prevalência do sedentarismo é maior do que a das condições crônicas. A atividade física possui papel importante na prevenção das mesmas.
Os benefícios da atividade física podem ser observados não só em indivíduos com condições crônicas ou sob risco de desenvolver as mesmas, mas também em indivíduos sadios.
Desde que os benefícios da atividade física comecem a ser atingidos, quantidades maiores da mesma geram melhorias ainda mais significantes.
Os benefícios da atividade física são, em geral, independentes do peso corporal. Adultos de todos os pesos e biotipos consolidam sua saúde sendo ativos.
Os benefícios são maiores do que os riscos de lesões ou de ataque cardíaco, preocupação de muitas pessoas e que dificulta a adoção de atividade física.
A atividade física reduz a prevalência de morte prematura, resistência à insulina, dislipidemia, diabetes, alguns tipos de câncer, osteoporose, incidência de doenças cardiovasculares, doenças cerebrovascular, lesões cardíacas, ataques cardíacos e a prevalência de depressão.
Como melhorias que a atividade física possibilita, podemos citar na competência cardiorespiratória, a capacidade aeróbica, a força muscular e a resistência física; na capacidade funcional, a habilidade de realizar as atividades físicas de rotina; a  saúde mental e a atividade cognitiva.
            É importante sempre lembrar que:
- Fazer pouca atividade física é sempre melhor do que não fazer atividade física; alguma atividade física é sempre melhor do que nenhuma;
- o efeito crescente da atividade física – no que diz respeito a intensidade, freqüência e duração – também se faz em relação aos seus benefícios para a saúde;
- tanto atividade aeróbica quanto o fortalecimento muscular são benéficos e sinérgicos;
- benefícios são verificados em todas as faixas etárias, crianças e adolescentes, jovens e adultos de meia idade, seniores e idosos, assim como em todos os grupos étnicos, raciais estudados e pessoas com necessidades especiais; incapacidades;
- os benefícios da atividade física em muito sobrepujam a possibilidade de ocorrências adversas;
Marcio Marega

Dor no trabalho: como evitá-las?


Previna-se
Nos dias de hoje, com o aumento dos recursos tecnológicos, que nos ajudam muito em nosso dia-dia, e com cada vez mais demanda no trabalho, muitas vezes fazemos diversas tarefas ao mesmo tempo. Aliado a isso você já parou para pensar quanto tempo você passa sentado em um dia? Com certeza muito mais do que o ideal. Não que exista um tempo certo para ficarmos sentados, porém quanto mais sentados ficamos ao longo de um dia, maiores são as possibilidades de desenvolvermos algum tipo de dor ou desconforto, principalmente relacionado ao trabalho que em muitas vezes alia ao fato de estarmos sentados por muito tempo à questão do estresse e das responsabilidades o que acaba por levar o aumento das tensões musculares, que por sua vez se não foram minimizadas podem trazer dor e muito desconforto.
E porque ficar sentado causa tanto desconforto?
A posição sentada leva ao encurtamento dos músculos posteriores do nosso corpo, principalmente os músculos dos membros inferiores e da coluna lombar, portanto quanto mais tempo sentados maior o encurtamento.
O encurtamento muscular além de levar a dor no músculo também aumenta a sobrecarga nas articulações e pode dificultar a circulação, o que no médio prazo pode provocar desordens anatômicas e biomecânicas, comprometendo a postura e gerando dor de forma constante.
Além das dores lombares e nos membros inferiores a posição sentada também pode gerar o aumento da tensão muscular dos músculos cervicais que leva a dor local, dor de cabeça e muitas vezes geram a sensação de formigamento e falta de força nos membros superiores, por causa da compressão dos nervos cervicais.
Veja algumas dicas de como prevenir as dores relacionadas ao trabalho:
- Antes de qualquer coisa pratique atividades físicas regulares: escolha a atividade que lhe proporcione mais prazer. As atividades físicas melhoram a flexibilidade, relaxam a musculatura, melhora o condicionamento físico que lhe proporcionará uma sensação de bem-estar, o que pode melhorar até o seu rendimento no trabalho.
- Evite passar muito tempo sentado: programe ao longo do seu dia pausas no trabalho, mesmo que pequenas (cerca de 1 minuto), procure caminhar alguns passos para tomar água ou buscar um documento na impressora (evite utilizar a impressora na sua mesa de trabalho, estas pausas proporcionarão a melhora da circulação dos membros inferiores e evitarão encurtamentos musculares importantes, além de “arejar” os pensamentos.
- Participe das aulas de ginástica laboral: exercícios de alongamento e relaxamento quando realizados de forma sistemática melhoram a flexibilidade, reduzem a possibilidade de tensões musculares e diminuem a dor.
- Trabalhe com alegria...
Porém a qualquer dor persistente e que não melhore com as atividades propostas procure seu médico.
Felipe Gambetta

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O poder da caminhada!!!

O Poder da caminhada!!!

O comportamento sedentário foi identificado como uma das principais causas evitáveis de morte, havendo uma relação linear inversa entre a quantidade de atividade física e a mortalidade por todas as causas. A "American Heart Association", o "US Surgeon General", o "Centers for Disease Control and Prevention (CDC), e o "American College of Sports Medicine" recomendam, pelo menos, 30 minutos por dia de atividade física, com mínimo de intensidade moderada, na maioria, senão em todos os dias da semana.
Ser fisicamente ativo é uma das atitudes mais importantes que os seres humanos de todas as idades podem tomar para melhorar a saúde. Atividade física é considerada como qualquer movimento que resulte de contrações musculares voluntárias e que leve a um gasto energético acima do basal. Uma importante e comum forma de atividade física é caminhar.Evidências relevantes mostram que um programa de caminhadas vigorosas provê vários benefícios tanto para a saúde em geral como cardiovascular em adultos, em adultos mais idosos, incluindo risco menor de mortalidade por todas as causas, de doença cardiovascular e de diabetes tipo 2. Há evidências que indicam que caminhar a uma velocidade maior está associado com maiores benefícios do que a uma velocidade menor. Evidências importantes demonstram que episódios freqüentes de caminhadas vigorosas melhoram a saúde cardiorespiratória e metabólica, especialmente em pessoas que realizam regularmente pouca atividade física. Evidências limitadas e moderadas indicam que caminhar ajuda a manter a densidade óssea e reduzir o risco de fraturas, especialmente em mulheres, e auxilia a manter a saúde articular e a habilidade ou competência funcional em adultos e em idosos.Lembramos apenas que, fazer pouca atividade física é sempre melhor do que não fazer atividade física.

Márcio Marega
 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Vamos contar os passos?

Contabilze seus passos!!!

A cada dia somos surpreendidos com os avanços e com as novidades que a tecnologia nos proporciona, tornando o nosso dia-dia cada vez mais fácil. Porém esta facilidade também pode se tornar uma vilã para a nossa saúde, pois quanto maior é o avanço tecnológico, menor é o número de pessoas que praticam alguma atividade física de forma regular.
Então o que você acha de aliar a tecnologia à saúde?
Hoje são diversos os tipos de produtos que aliam estes dois fatores como relógios com GPS, sistemas integrados entre o tênis e seu computador, videogames que simulam movimentos, etc...
Mas vamos falar de um outro equipamento simples e barato que pode nos ajudar muito quando o assunto é saúde. Você já ouviu falar sobre o pedômetro?
O pedômetro é um equipamento portátil que conta o número de passos que uma pessoa faz por dia. Funciona com um sistema pendular que conta os passos através da oscilação dos quadris. Seu aspecto é similar aos antigos BIPS e devem ser utilizados na cintura, presos ao cinto ou a sua roupa.
Uma das vantagens do pedômetro é a possibilidade de visualização do número de passos ao longo do dia o que estimula e faz com que a pessoa monitore sua evolução.
Segundo a Organização Mundial de Saúde recomenda-se para uma vida saudável a realização de 10.000 passos por dia, o que representa uma redução de 34 % dos riscos cardiovasculares e 58% do risco de desenvolver diabetes. Acumulando 10.000 passos por dia, em 64 dias, saindo de São Paulo você chegaria ao Rio de Janeiro!
Porém você não precisa começar com objetivos tão grandes. O ideal é que você faça a cada dia mais passos que nos dias anteriores, aumentando de forma gradativa  e consistente o seu número de passos total no dia. Caminhar até uma padaria que fica à 1,5 km de sua casa, por exemplo, já faria você acumular 2.000 passos! 
DICAS:
- Crie uma planilha para controlar seu número de passos diários, isso irá estimulá-lo a aumentar seus passos a cada dia.
- Elabore um plano de metas para que a cada conquista você se sinta mais estimulado.
- Procure metas atingíveis;
- Evite o elevador e use as escadas;
- Passeie com seu cachorro;
- Programe visitas aos parques, museus, etc;
- Estacione o carro o mais longe possível do seu destino;
- Faça seus deslocamentos à pé;
- Ao falar no telefone celular procure caminhar, mesmo que no seu ambiente de trabalho;
- Coloque sua impressora o mais longe possível do seu posto de trabalho;
- Tome muita água durante seu dia-dia e procure uma estação de água longe do seu posto de trabalho;
 Boa sorte e muitos passos.  

Felipe Gambetta